25 de fev de 2011

À moda Sarney, juiz impõe censura e ameaça de prisão jornalista do Jornal Pessoal do Pará

    O juiz Antônio Carlos Almeida Campelo, titular da 4ª Vara Cível Federal do Pará, enviou uma intimação ao jornalista Lúcio Flávio Pinto, para que deixe de publicar informações sobre o processo contra os principais executivos do Grupo O Liberal, responsável por vários veículos de comunicação no estado.
    A intimação diz que o jornalista será preso em flagrante caso publique qualquer informação sobre o processo, que corre em segredo de Justiça. Além disso, caso desacate a ordem, também terá que pagar R$ 200 mil de multa.
    Lúcio Flávio mantém o Jornal Pessoal há 23 anos. O jornalista publicou uma matéria sobre o caso dos empresários Romulo Maiorana Júnior e Ronaldo Maiorana no início deste mês.
    Os executivos do grupo de mídia foram denunciados pelo Ministério Público Federal por crime contra o sistema financeiro nacional, pelo uso de fraude, para a obtenção de recursos dos incentivos fiscais da Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia).
    "Pretendo recorrer para revogar essa decisão, que é abusiva. A minha matéria defende o interesse do povo que teve o dinheiro desviado. Quando existe um caso de conflito entre a privacidade e o direito da sociedade, vale o direito da população de saber o que está acontecendo", afirmou Lúcio Flávio.
    Segundo ele, o juiz tomou a decisão por "conta própria", já que os autos não estavam conclusos. "Ele tomou a decisão por conta própria, mas não provocado pelas partes do processo", disse.
    A reportagem ainda não conseguiu contato com o juiz da 4ª Vara Cível Federal do Pará.
Do Comunique-se

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!